china-lixo-espacial.jpg.640x340_q85_crop Ciência e Tecnologia 

China criará centro para controlar lixo espacial.

Por: EXAME. Foto: Chris Hadfield/AFP

O contato com qualquer uma dessas peças pode danificar ou destruir satélites e naves espaciais.

Pequim – A China criará um centro especializado para controlar o chamado “lixo espacial” e proteger suas missões que estão em órbita, conforme anunciou nesta segunda-feira a agência oficial “Xinhua”.

A nova entidade, administrada pela Administração Estatal de Ciência, Tecnologia e Indústria para a Defesa Nacional e pela Academia Chinesa de Ciências, acompanhará e vigiará os resíduos espaciais para que não atinjam as pesquisas do país asiático.

O centro receberá dados das estações de observação chinesas para criar uma rede de alerta sobre os resíduos espaciais e compartilhará informações com parceiros do programa espacial chinês.

Acredita-se que haja mais de 300 mil peças de lixo espacial, desde parafusos a grandes partes de foguetes, satélites e outros dispositivos lançados da Terra e que ficaram inativos ou quebrados em colisões.

Estes objetos orbitam a uma velocidade de 10 quilômetros por segundo, cerca de 40 vezes mais rápido que os aviões dentro da atmosfera terrestre.

O contato com qualquer uma dessas peças pode danificar ou destruir satélites e naves espaciais.

As naves e satélites da China que estão no espaço registram uma média de 30 incidentes anuais nos quais se aproximam a uma distância considerada de risco – menos de 100 metros – destes resíduos.

Posts Relacionados

Deixe um Comentário