solar-energy-2157212__340 Destaques Economia e Negócios Meio Ambiente 

Claro inaugura complexo solar fotovoltaico

POR – AMBIENTE ENERGIA / NEO MONDO

A Claro Brasil, que engloba as marcas Claro, Embratel e Net, acaba de inaugurar o primeiro complexo de usinas solares e criar a maior operação solar dedicada a uma empresa no País

SOL

O complexo fica nas cidades de Várzea de Palmas e Buritizeiro, em Minas Gerais, ocupa uma área de 45 hectares e gerará energia suficiente para suprir uma cidade de 250 mil habitantes.

Há um ano, a tele fez um projeto-piloto em Várzea de Palmas, com um terço do atual espaço. A iniciativa é chamada de Programa A Energia da Claro e prevê o uso de energia limpa, obtida por meio de geração distribuída (que é toda produção de energia elétrica proveniente de empresas concessionárias, permissionárias ou autorizadas que são conectados diretamente ao sistema elétrico de distribuição do próprio comprador, ou seja, autossuficiência) em todas as suas operações e instalações no Brasil.

A energia usada pela Claro virá de várias fontes: solar, eólica, hidrelétrica, biogás e cogeração qualificada. A meta é cobrir 80% da energia usada em todo o território nacional, equivalente a mais de 600 mil MWh/ano. Esse primeiro complexo de usinas em Minas gerará 35 MWh/ano.

Segundo a operadora, para 2018 estão previstas as inaugurações de mais 20 parques solares, quatro parques eólicos, seis usinas de biogás e três de cogeração qualificada. A segunda fase do projeto, também a ser implantada no ano que vem, incorporará ao programa a energia gerada por pequenas centrais hidrelétricas (as CGH).

Fazenda-Solar-Claro

Essas informações sobre a produção de energia para uso próprio foram comunicadas pelo presidente do Grupo América Móvil Brasil, José Félix, em São Paulo.

“O setor de telecomunicações teve um ano desafiador. Pelo momento político, pela transformação na indústria, com a automação e a inteligência artificial, por conta do consumidor, que mudou, e também pela regulamentação pouco flexível”, resumiu o executivo, ao comentar o período.

“O crescimento ainda lento do País foi agravado com o quadro regulatório pouco flexível, que não se ajusta com o ritmo das mudanças”, criticou Félix. O presidente afirmou que, nos últimos três anos, foram investidos R$ 30 bilhões pelas três marcas no País.

 

INVESTIMENTO

Posts Relacionados

Deixe um Comentário