columbia-glacier-before-1000x500 Meio Ambiente 

Fotografias impressionantes de antes e depois retratam efeitos das mudanças climáticas nas geleiras.

POR – [ LiveScience ] [ Fotos: Reprodução / LiveScience ]

 

Uma equipe de cientistas reuniu evidências fotográficas dos efeitos causados pelas mudanças climáticas. Por meio de imagens de “antes e depois”, eles registraram o recuo das geleiras e derretimento do gelo em regiões da Groelândia e Antártida.  A pesquisa de caráter fotográfico foi pulicada no dia 30 de março na revista GSA Today, de acordo com informações da Live Science.  “Nós temos evidências fotográficas não retocadas das geleiras que estão derretendo em todo o Planeta”, disse o coautor do estudo, Gregory Baker, um geólogo da Universidade do Kansas.

“Isso inclui os lençóis de gelo da Groenlândia e da Antártida – que foram consideravelmente reduzidos em tamanho”“Estes não são modelos de computador, fantasias ou imagens de satélite em que você teria que fazer todos os tipos de correções”, advertiu. “Estas são simplesmente fotos, algumas registradas até 100 anos atrás. Meus coautores voltaram a muitos desses locais e os clicaram novamente. Então é apenas uma prova direta da perda do gelo em larga escala em todo o mundo”.

 

Glaciar Mendenhall, no Alasca 

Esses registros de 2007 e 2015, feitos no Glaciar Mendenhall do Alasca, revelam que neste período de oito anos houve um recuo de cerca de 550 metros.

mendenhall-glacier-before

(2007)

 

mendenhall-glacier-after

(2015)
Glaciar Solheimajokull, na Islândia 

Também fotografada entre os anos de 2007 e 2015, a geleira localizada na extremidade sul da calota Myrdalsjokull apresentou uma notável diferença de 625 metros de recuo nesse período de oito anos de aquecimento global.

Camera position IL-5 Mountain top south of Solheim terminus 63 degrees 32.304 minutes North 19 degrees 22.558 minutes West Elevation 866 feet Bearing of photo approximately 120

(2007)

 

solheimajokull-glacier-after

(2015) 

Glaciar Stein, na Suíça 

Localizado na Suíça, este glaciar também enfrentou mudanças relevantes em sua paisagem. Recuando cerca de 550 metros, ele foi registrado entre os anos de 2006 e 2015.

Stein Glacier 9-17-2011 seen from EIS "Stein 2" position 2011 50-point average GPS position:  N 46 deg 43' 52.9" E 8 deg. 26' 13.6" Elev. 6829'
(2006)

 

stein-glacier-after

(2015)

 

Glaciar Trift, na Suíça 

Também na Suíça, o Glaciar Trift notavelmente retraiu em cerca de 1,7 quilômetro, de acordo com os pesquisadores. Os registros foram feitos entre 2006 e 2015.

Swiss Alps, Trift Glacier. The Trift retreated nearly two miles since 1950; more than 3,000 feet worth of this pull back occurred in the past ten years. Trift Gletscher. Retreat since 1860=2800 m. Retreat since 1990 = 900 m. Retreat in 2005=215 m. Source: glaciology.ethz.ch Seen from my site Trift 3: N46 degrees 41'08.5"/E8 deg. 21'39.7"/ 1670 m. asl/ bearing 180 deg. Take trail from top of Triftbahn gondola for 50 minutes to junction at bridge below lake. Cross bridge and work along left side of lake. About one hour from bridge, shot is made from ice-cored alluvial terrace partway out in lake; this feature will melt and disappear, so it may be impossible to re-capture this site precisely.

(2006)

 

trift-glacier-after

(2015)

 

Glaciar Qori Kalis, no Peru  

Este glaciar peruano, da região de Quelccaya recuou emimpressionantes 1,14 quilômetro entre os anos em que foram fotografados: 1978 e 2016.

qori-kalis-glacier-before

(1978)

 

qori-kalis-glacier-after

(2016) 

 

Glaciar Columbia, no Alasca 

Localizado na costa sudeste do Alasca, o glaciar de Columbia é chamado de “um glaciar de maré”. Isso significa que ele flui diretamente para o mar, de acordo com o Observatório Terrestre da NASA. Em 1794, quando exploradores britânicos examinaram a geleira, eles descobriram que seu “nariz” (chamado de terminus) se projetava para a borda norte da Ilha Heather, próxima à foz da baía de Columbia.  “A geleira manteve essa posição até 1980, quando começou a recuar rapidamente para o local em que está hoje”, disse o Observatório. As imagens abaixo mostram a geleira entre os anos de 2009 e 2015, bem como uma retração glacial de 6,5 quilômetros.

columbia-glacier-before

(2009)

Action at Columbia Glacier, late August 2009 Extreme Ice Survey field camp with James Balog, Adam Lewinter, Dr. Tad Pfeffer/University of Colorado, Dr. Shad On'Neill/U.S. Geological Survey and Ethan Welty/graduate student of Pfeffer's.

(2015)

 

Posts Relacionados

Deixe um Comentário