Vista geral da Baía Formosa Destaques Meio Ambiente Turismo 

PRESERVAÇÃO OU TURISMO DESENFREADO?

POR – ELENI LOPES DIRETORA DE REDAÇÃO DE NEO MONDO

FOTOS – OSCAR LOPES LUIZ

O litoral sul do RN vai além da Praia da Pipa, as riquezas naturais são abundantes em toda a orla, no entanto, somente a conscientização pode garantir a preservação da natureza local.

Ícone do litoral sul do Rio Grande do Norte, a Praia da Pipa já foi símbolo de natureza e belezas naturais. Hoje, o charme da vila de pescadores da década de 80 deu lugar a um aglomerado de hotéis, pousadas, lojas, restaurantes, buggies, guias, vendedores de bugigangas e tudo o mais que acompanha o turismo desenfreado e, muitas vezes, predatório. É certo que a beleza natural ainda prevalece ao caos, mas difícil é saber por quanto tempo ainda resistirá ao crescimento turístico.

Chapadão das Falésias da Pipa
Chapadão das Falésias da Pipa

O litoral Sul do RN, no entanto, ainda guarda recanto onde a natureza preserva suas riquezas e diversidade. E foi em companhia do guia Wellington Inácio da Silva que NEO MONDO conheceu mais de 80 quilômetros da costa sul potiguar, partindo de Sagi (leia mais) em direção à Praia do Madeiro. Conheça mais abaixo sobre este local ainda pouco explorado do litoral do RN e na galeria de fotos a seguir.

Baía Formosa

Única baía do estado do Rio Grande do Norte, a cidade-praia Baía Formosa está localizada a 94 km da capital Natal. A pequena cidade tem a pesca como principal atividade comercial e na rua do Porto encontramos barcos regressando do mar abarrotados de peixes e camarões. À época da visita (junho/2017) de NEO MONDO, era possível comprar 1 kg de camarão diretamente dos pescadores locais pela inacreditável quantia de R$ 7.

O passeio por sua belíssima orla é culminado pela chegada ao mirante da Baía, que proporciona uma visão 180º das águas verdes e cristalinas, bem como das falésias naturais que a rodeiam.

Além da orla, um passeio pela Mata Estrela – a maior reserva de Mata Atlântica em área de dunas, é obrigatório. Com quase dois mil hectares preservados à beira-mar, a Mata Estrela abriga muitas espécies em extinção da fauna e da flora brasileira.

Mirante da Baía Formosa
Mirante da Baía Formosa

Barra de Cunhaú

Seguindo pela praia, onde deparamos com nativos colhendo algas marinhas que, depois de secas em pequenas tendas ao longo da praia, são vendidas a atravessadores da indústria de cosméticos por R$ 0,25 o kilo, atividade que cresce como fonte de renda na região, passamos por um curioso museu marítimo, mantido por um ex-colaborador do projeto TAMAR que expõe fósseis de tartarugas, baleias e outros animais marítimos que, segundo ele, morreram naturalmente na praia.

Chegando à Barra do Cunhaú, lugar de encontro do rio Cunhaú com o mar, a prática de esportes náuticos como windsurf, kitesurf, jetski e esqui aquático é facilitado pelas águas calmas e abundância de ventos. O local é conhecido também pela criação de camarões em cativeiros – atividade chamada de carcinicultura, e as “fazendas” são abundantes em sua orla.

Um arcaico sistema de ferry boat proporciona a travessia do rio e a continuidade do passeio, que passa ainda pelo Mirante da Tartaruga, local preservado, onde é possível observar do alto os quelônios nadando e cavando buracos para abrigar seus ovos.

Vista geral de Barra do Cunhaú
Vista geral de Barra do Cunhaú

Falésias

O ponto alto do passeio, após a travessia do rio Cunhaú, é a chegada ao chapadão das Falésias de Pipa. Falésias são formações caracterizadas pelo encontro abrupto entre o mar e a terra, lembrando os penhascos e desfiladeiros. As de Pipa são constituídas principalmente de barro, ou areia rica em argila, e também por dunas, proporcionando uma paisagem única, garantia de fotos dignas de porta-retratos.

Praia do Madeiro

O passeio por este trecho do litoral terminou na Praia do Madeiro, muito visitada por curiosos que querem ver golfinhos a olho nu e aqueles que desejam pegar suas primeiras ondas. Para chegar à beira-mar é preciso descer uma escadaria com mais de 140 degraus de madeira, cercada pela vegetação local. Mas o esforço físico é compensado pela vista que você terá da região, com falésias coloridas e coqueirais.

Praia do Madeiro antes da descida pelos 145 degraus de madeira
Praia do Madeiro antes da descida pelos 145 degraus de madeira

 

Posts Relacionados

Deixe um Comentário