forum Economia e Negócios 

ONU promove Fórum de Negócios no Brasil.

por: NQM Comunicação

Evento é realizado pela primeira vez no país e aconteceu durante evento internacional em Curitiba (PR).

A Convenção da Diversidade Biológica (CDB), órgão da ONU e um dos mais importantes instrumentos internacionais relacionados ao meio ambiente (veja mais em ’Sobre a CDB’), realizou pela primeira vez no Brasil o Fórum de Negócios da Biodiversidade, evento que pretende aproximar empresas do setor privado às iniciativas de conservação da natureza. O encontro, que faz parte do VIII Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação (CBUC), um dos maiores eventos de conservação da América Latina, acontece até esta quinta-feira (24).

Presidido pelo secretário executivo da CDB, Bráulio Dias, o Fórum de Negócios discutiu temas como o capital natural, que engloba todos os benefícios que os ecossistemas equilibrados fornecem ao homem: desde os mais tangíveis, como água potável, alimento e madeira, aos mais abstratos, como o valor espiritual e cultural que os ambientes naturais representam para diversas comunidades. É nesse capital que reside a capacidade do planeta de fornecer os recursos naturais que alimentam a economia e a capacidade de reciclar e absorver seus resíduos.

Diante desse cenário, é necessário que o setor privado desenvolva iniciativas e soluções sustentáveis para adequar a sua produção aos serviços fornecidos pela natureza, que já se encontram no limite da sua capacidade produtiva. Esses serviços ambientais oferecidos por ela incluem produção de água, regulação do clima, sequestro de carbono e fertilização do solo. As Metas de Aichi associadas ao setor de negócios também foram abordadas durante o Fórum. Essas metas são 20 proposições, reunidas em cinco objetivos estratégicos, voltadas à redução da perda da biodiversidade em todo o mundo. Elas foram definidas durante a 10ª Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica (COP-10), realizada na cidade de Nagoya, Província de Aichi, Japão, e têm o Brasil como signatário.

Além dessas discussões, também foram apresentadas iniciativas regionais e globais sobre conservação no âmbito privado, como o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável e o Instituto Life, organização brasileira do terceiro setor que tem por objetivo reconhecer organizações públicas e privadas que desenvolvam ações favoráveis à conservação da biodiversidade. Além disso, nesta quinta-feira (24), a CDB promoveu reunião fechada para definir as estratégias dos próximos eventos da instituição.

Conservação: um bom negócio

O Fórum de Negócios da CDB foi realizado pela primeira vez, em 2014, durante a 12ª  Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica (COP-12), realizada em Pyeongchang, na Coreia do Sul. A intenção foi convidar o setor privado para apresentar suas iniciativas e contribuir com a implementação do Plano Estratégico para a Biodiversidade 2011-2020 e as Metas de Aichi, cujos resultados em prol da redução da perda da biodiversidade devem ser alcançados até o final desta década.

Integrar a biodiversidade nos setores econômicos e introduzir conservação da biodiversidade nos processos produtivos das empresas é um dos desafios da CDB. Segundo o coordenador do Fórum de Negócios da CDB, David Steuerman, o

crescimento do setor empresarial em todo o mundo teve efeito negativo sobre o meio ambiente, em especial sobre os serviços ecossistêmicos. “É importante conscientizar as empresas dos seus impactos e dependências e incentivá-las a agir de uma forma mais sustentável. A contribuição do setor empresarial também é essencial na realização do Plano Estratégico para a Biodiversidade 2011-2020. Temos mais cinco anos para mobilizar o setor a encontrar soluções criativas e sustentáveis para os seus processos econômicos e industriais e que protejam os recursos naturais”, ressaltou David.

Para Malu Nunes, diretora executiva da Fundação Grupo Boticário, é necessário que as empresas insiram cada vez mais o tema conservação da natureza nos seus planos estratégicos. “A consciência que precisa ser criada é a de que as instituições necessitam da natureza para dar continuidade ao seu negócio, independente do porte ou do segmento econômico, por isso, é imperativo traçar estratégias de conservação para sobreviver e garantir o futuro”, afirmou Malu. “É uma clara relação de interdependência”.

 

Sobre a CDB

A Convenção sobre Diversidade Biológica foi estabelecida durante a ECO-92 – a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (CNUMAD), realizada no Rio de Janeiro em junho de 1992. A CDB tem como objetivo estabelecer as normas e princípios que devem reger o uso e a proteção da diversidade biológica em cada país signatário. Mais de 160 países já assinaram o acordo, que entrou em vigor em dezembro de 1993.

Serviço

Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação

Data: até 25 de setembro

Local: ExpoUnimed – Curitiba (PR)

Mais informações: www.fundacaogrupoboticario.org.br/cbuc.

Sobre o Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação (CBUC) – O Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação é promovido periodicamente pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. A oitava edição do CBUC acontece de 21 a 25 de setembro de 2015 no ExpoUnimed (PR). Os patrocinadores desta oitava edição são: Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Conservação Internacional do Brasil e Votorantim. A primeira edição do CBUC aconteceu em 1997 em Curitiba (PR); em 2000 foi realizada em Campo Grande (MS); em 2002 em Fortaleza (CE); em 2004 em Curitiba (PR); em 2007 em Foz do Iguaçu (PR); em 2009, aconteceu novamente em Curitiba (PR); e, em 2012 em Natal (RN). Mais de 10 mi pessoas já participaram do evento.

Posts Relacionados

Deixe um Comentário