peito roxo Meio Ambiente 

Projeto de reintrodução do papagaio-de-peito-roxo recebe prêmio Expressão de Ecologia.

por: NQM COMUNICAÇÃO

Iniciativa foi reconhecida pelos resultados de proteção da espécie que está ameaçada de extinção.

Um projeto inovador que conta com o apoio da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza foi reconhecido pelo 23º Prêmio Expressão de Ecologia. A reintrodução do papagaio-de-peito-roxo (Amazona vinacea) no Parque Nacional das Araucárias (SC) realiza solturas periódicas e já devolveu ao meio ambiente 83 indivíduos.

O projeto, que recebe pela segunda vez o prêmio considerado o mais importante no Sul do Brasil, concorreu na categoria Conservação da Vida Silvestre. Para a pesquisadora responsável do Instituto Espaço Silvestre, Dra. Vanessa Kanaan, esse é um reconhecimento para todos os que auxiliam na conservação da espécie. “Nossos parceiros e a comunidade foram fundamentais para o sucesso da iniciativa. É um esforço coletivo que vale a pena”, afirma Vanessa. O projeto foi escolhido entre 129 outros cases.

A iniciativa acontece desde 2010 e tem por objetivo estabelecer uma população viável de papagaios no Parque Nacional das Araucárias, unidade de conservação que protege um dos mais importantes remanescentes de Floresta com Araucárias do país.

Há seis anos, o papagaio-de-peito-roxo era considerado extinto na região e hoje já se tem informações de reprodução da espécie na natureza. “Essa nova realidade confirma o sucesso do trabalho que tem sido desenvolvido”, ressalta a pesquisadora. Neste mês está acontecendo uma nova soltura de sete indivíduos.

O projeto pode ser acompanhado pelo site do instituto (www.espacosilvestre.org.br) ou pelas redes sociais.

O Prêmio

O Prêmio Expressão de Ecologia foi criado em 1993 pela Editora Expressão, um ano após a Conferência Mundial do Meio Ambiente no Rio de Janeiro – Eco 92. O objetivo é divulgar ações ambientais de instituições da região Sul do Brasil e incentivar que outras sigam o mesmo caminho.

De acordo com o coordenador da premiação e diretor da revista Expressão, Rodrigo Coutinho, os principais critérios para escolher os vencedores são ineditismo, resultados para a conservação e relevância para a região. Em 23 anos de realização, o prêmio registrou 2.408 cases inscritos, das principais empresas, ONGs, prefeituras e entidades da região Sul.

Mais informações pelo site www.expressao.com.br/ecologia/vencedores/15.php

Sobre a Fundação Grupo Boticário: a Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza é uma organização sem fins lucrativos cuja missão é promover e realizar ações de conservação da natureza. Criada em 1990 por iniciativa do fundador de O Boticário, Miguel Krigsner, a atuação da Fundação Grupo Boticário é nacional e suas ações incluem proteção de áreas naturais, apoio a projetos de outras instituições e disseminação de conhecimento. Desde a sua criação, a Fundação Grupo Boticário já apoiou 1.457 projetos de 488 instituições em todo o Brasil. A instituição mantém duas reservas naturais, a Reserva Natural Salto Morato, na Mata Atlântica; e a Reserva Natural Serra do Tombador, no Cerrado, os dois biomas mais ameaçados do país.  Outra iniciativa é um projeto pioneiro de pagamento por serviços ambientais em regiões de manancial, o Oásis. Na internet: www.fundacaogrupoboticario.org.brwww.twitter.com/fund_boticario e www.facebook.com/fundacaogrupoboticario.

Posts Relacionados

Deixe um Comentário