carro1 Destaques Meio Ambiente Mobilidade Urbana 

transporte representa cerca de um quarto das emissões de gases de efeito estufa da Europa

Por – Silvia Dias, direto de Bonn (Alemanha) para NEO MONDO

ALEMANHA

Em meio à conferência do clima, UE divulga pacote de transporte que agrada a indústria automobilística e prejudica os consumidores  

A Comissão Europeia apresentou hoje sua proposta de legislação para a União Europeia combater as emissões de CO2 dos carros e vans.

Especialistas dizem que esta proposta enfraqueceria a competitividade da indústria automobilística da UE e entregaria a liderança em veículos elétricos para a China. Este pacote também prejudicaria os consumidores europeus que procuram fazer a melhor escolha para sua saúde e seus bolsos. Acredita-se que a razão fundamental para esta falta de ambição da Comissão foi a pressão de última hora dos políticos alemães para enfraquecer o pacote.

Essa proposta sai imediatamente após o anúncio conjunto da UE e do estado da Califórnia para que intensifiquem sua cooperação em ações climáticas, trabalhando juntas para dimensionar globalmente soluções de transporte de carbono zero. Ao contrário das ambições da Califórnia, no entanto, a proposta da UE divulgada hoje não contém um objetivo claro sobre veículos com emissões zero. A ambição da UE também parece mais fraca que a da China, da Índia ou mesmo de vários países europeus, que todos anunciaram suas próprias metas para veículos de emissão zero. Acredita-se que a principal razão para essa falta de ambição seja o lobby da indústria automobilística.

O transporte representa cerca de um quarto das emissões de gases de efeito estufa da Europa e é a principal causa de poluição do ar nas cidades europeias. A proposta da Comissão será agora processada pelo Parlamento Europeu e pelos Estados-Membros da UE, que podem assegurar-se de aumentar a ambição do texto e garantir a competitividade da indústria automotiva da UE. Uma coalizão de sete países progressistas da UE já convocou a Comissão a resistir ao lobby da Alemanha.

congestionamento

Reações à publicação da proposta da Comissão Europeia

 Monique Goyens, Diretora Geral, BEUC, Organização Europeia do Consumidor, disse:

“Os carros de emissão zero são bons para o meio ambiente, nossa saúde e nossos bolsos. As pesquisas mostram que é necessária uma ação ambiciosa da UE para enfrentar a falta de escolha do consumidor quando se trata de veículos elétricos. Espera-se que estes se tornem mais baratos do que os carros a gasolina / diesel durante os anos 2020. Mas isso não acontecerá com a proposta atual, que não possui uma quota para veículos elétricos. Esperamos agora que o Parlamento e os Estados-Membros assegurem que os consumidores europeus tenham mais opções no futuro “.

Peter Mock, Diretor Gerente da UE, Conselho Internacional de Transporte Limpo (ICCT):

“De um ponto de vista técnico, é definitivamente possível um progresso maior. Nossas análises indicam que uma meta mais ambiciosa de CO2 promoveria a aceitação de veículos eletrificados e, como resultado, efetivamente reduziria o custo geral de conformidade para os fabricantes de veículos, em comparação com um cenário com maior quota de mercado de veículos a motor de combustão “.

Greg Archer, diretor de veículos limpos da Transport & Environment, disse: “A Comissão deu à indústria automobilística a regulamentação ineficaz que eles vinham pedindo. A remoção da penalidade por não cumprir metas de veículos de emissão zero é um objetivo próprio. Isso equivale a entregar a liderança global em carros elétricos para a China, que ficará encantada por exportar seus modelos para a Europa ameaçando empregos na indústria automobilística da Europa.  A indústria automobilística pode estar liderando na metade do tempo, mas o jogo não acabou. Agora, os Estados-Membros e o Parlamento estão obrigados a fazer mudanças na proposta, a fim de colocar a Europa em uma trajetória para limpar carros e vans e tornar sua indústria automotiva globalmente competitiva. Lamentavelmente, a Comissão falhou ao fazer ou aprender com os erros passados.”

china

 

Posts Relacionados

Deixe um Comentário